sábado, 6 de fevereiro de 2010

O homem que engarrafava nuvens





Ontem a convite de uma amiga que tem escrito nas costas “ acracia”, fomos assistir O Homem que engarrafava nuvens, era o filme que eu precisava assistir, um documentário com um pouco da história que os brasileiros não contam, não sabem e não divulgam. Como sempre nas melhores salas de cinema, para poucos, uma sala com 15 gatos pingados, neste caso esta frase feita, se encaixa perfeitamente...(só para não esquecer as rimas, ainda que pobre, mas uma rima).
A história do Baião. Humberto Teixeira, nunca tinha ouvido falar. Nem o nome, muito menos o sobrenome. É uma pena que os compositores são diluídos na voz do interprete a ponto de ficar invisível. Sem dúvida, um homem incrível, amado pelos amigos e músicos e desconhecido pela sua própria filha, Denise Dummont, que ao querer desvendar quem era seu pai, mostrou por meio deste registro, um excelente compositor, re-conhecido para os estrangeiros e empoeirado em algum sebo de discos usados na Pátria gentil...
Enfim, vamos ao documentário, pois o duplo artista versus homem, é um enigma que precisa ser estudada para que possamos compreender melhor...
O documentário, como nordestina que zabumba no meu peito, uma riqueza uma saudade infinda que essa cidade não preenche, ultimamente me encontro muito nas telas, nas páginas escritas por autores diversos, um bom filme pra mim, é aquele que me sacode, me sacoleja. E este me fez chorar, sorrir, questionar......um baião atravessado nos meus olhos..Sim, Humberto Teixeira compositor do hino nordestino Asa Branca, como eu só vim saber agora...e quantos não irão saber nunca. Recomendo. Assistam.....
E Asa Branca para os que amam a terra, a vida e o amor!!!






3 comentários:

Jéssica Balbino disse...

pooo
eu tou louca pra ver tbm viu ! ainda mais com estes comentários :)

Migh Danae. disse...

Adoreeei a discrição: "uma amiga..."
Beijocas,

black music disse...

Elizandra, me diga onde esta passando, deve ser arretado, quero ver!