domingo, 18 de outubro de 2009

Sonhar: uma conquista amorosa




Nos últimos dias andei observando que alguns amigos estavam realizando sonhos que desejavam há um tempo, cobiçavam ao longe, mas sem perder de vista, ora com uma cantada tímida, ora com uma mais ousada, cortejando com flores, gracejos e sorrisos, provocando situações que só um beijo poderia responder ou calar. É maravilhosa essa sensação da conquista, esse ficar sem fôlego, essa gargalhada espontânea dentro de um ônibus cheio, ao receber uma notícia pelo telefone da tal aprovação.
Um dos meus amigos conseguiu o emprego que estava desejando, outro alcançou a liberdade neste feriado prolongado, quatro dias de “saidinha” como costumam dizer e o outro arriscou tudo para entrar numa equipe de jogadores.
Fiquei muito feliz com a conquista que eles alcançaram, mas passado alguns dias, dois dos três, me mostraram que não sabiam o que fazer com a realização. O primeiro se atrasa e não abre mão de nada para se manter no trabalho que ele tanto almejou. O segundo, resolveu não voltar da “saidinha” e está foragido dentro de casa, sendo que faltavam oito meses para a liberdade definitiva.
A minha esperança ainda está no terceiro, que me parece, que continuará realizando o seu sonho. Pois, ele sabe que venceu apenas uma etapa, e que nos jogos da vida ora se ganha, ora se perde e que continua treinando é ser um pouco melhor, ou dar o melhor de si, fazer o que é possível e necessário em determinado momento.
Este mesmo amigo, me perguntou quais seriam os meus sonhos e planos para os próximos cinco anos, estou sem responder até agora. Sinceramente, não sei. Lembrei de uma frase do livro Alice no País das Maravilhas, que a minha professora vem repetindo desde o começo do semestre: “Se não sabe aonde ir, qualquer caminho serve”. E eu não quero ir para qualquer lugar, não pretendo colocar meus sonhos, que nem sei quais são ainda, nos porões dos sonhos não realizados, envelhecidos e enferrujados com o passar dos anos.
Tem uma outra frase muito sábia do livro o Pequeno Príncipe que diz: “Você se torna responsável por tudo aquilo que cativas” e um outra que li esta semana no livro As Boas Mulheres da China, da jornalista Xinran, um provérbio chinês que adverte “ Se não pode fazer alguém feliz, não lhe dê esperanças”.
Sonhos pra mim, são pessoas amadas que vamos conquistando ao longo do tempo, mas que devemos respeitá-los, dignificá-los. Não é porque tenho o carinho das pessoas que vou fazer qualquer coisa que elas irão perdoa. Afinal, elas foram cativadas e merece todo o nosso carinho e a nossa atenção.

Segue algumas fotos de um outro sonhador...CASSIM@NO...para dizer um pouco mais do que é uma conquista de um sonho....





Conheça mais sobre o trabalho do Cassim@no: http://www.flickr.com/photos/cassimano

2 comentários:

Jaqueline disse...

Quando escuto, leio ou penso na palavra sonho eu me vejo. Tenho tantos sonhos.
Mas uma coisa que me assemelha com o texto é que eu sempre vivo um pouco dos sonhos das pessoas que estão ao meu lado, eu sempre vibro pelas conquistas dos outros.
Tenho alguns amigos pessimistas que não gostam de sonhar, e o que eu sempre digo é que através dos sonhos que a gente acredita, e se a gente acredita muitas coisas podem ser possível ou não, mas o sonho nos possibilita tentar o que já é um avanço.
Parabéns pelo texto. Bj

Migh Danae. disse...

Fiquei triste com o texto... coisas.
Mas você só melhora!
Beijos,